sábado, 31 de março de 2012

Invisível


Tenho saudades
de mim
mas não me encontro

Cruzo-me com o que resta
cá dentro
e tenho a certeza
de que não pertenço

Pergunto por mim
aqui e ali
ninguém se recorda
de ouvir os meus passos

Passo pela minha própria vida
invisível

Se desaparecer quem vai procurar
Se me evaporar quem vai dar pela falta

4 comentários:

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Eu vou!

ana almeida disse...

Sobrinha gira, obrigada! :-)
um bjinho

George Sand disse...

Lindo Ana, os passos, encharcados de nós, que apesar de tudo, não no encontram, plenamente.

Uma Feliz Páscoa.

ana almeida disse...

Obrigada, GS :-) Espero que tenha sido também por aí uma boa Páscoa.