segunda-feira, 26 de março de 2012

Dinâmica


O coração
não me dispara
no peito
quando te vejo.

Antes se aninha
no teu,
está em casa.

Não vive do sangue
em sobressalto,
nem do trânsito
insano
das artérias.

Antes do som
familiar
das chaves que se aprestam
à porta de mim.

4 comentários:

George Sand disse...

Gostei muito.

As chaves e a porta de si,
abertas de par em ar.

ana almeida disse...

Fico contente. Obrigada, GS :-)

Joao Barbosa disse...

:-)

Anónimo disse...

:-)*
je