quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Equilíbrios


Sorrio mais quando chove
Quando troveja
Quando o mundo desaba.

Há que sorrir até
que o ciclo se cumpra
E possamos ser nostálgicos de novo
na placidez dos dias felizes.


* Quadro: Storm over Ryedale Moor, de Steve Greaves

8 comentários:

carla tavares disse...

totalmente de acordo amiga ;) beijo

Cartas de Julieta disse...

O meu coração costuma hospedar-se no outono, - ante-sala das lágrimas do céu - então quando chove, troveja e o mundo desaba eu choro saudades...

Gostei do seu espaço. Voltarei.Bjs

je disse...

Volte sempre :-) Obrigada

George Sand disse...

Muito, muito bom.
Intenso e sem floreados desnecessários

je disse...

:-)

João Barbosa disse...

aplauso! pra ti!

gamanço, ao gajo... bom texto e compatível ilustração

George Sand disse...

Não queria deixar de desejar um feliz Natal para si e para todos os seus leitores (apesar de já ter comentado em cima :) )

ana almeida disse...

Muito obrigada! e igualmente, pois claro! :-)