quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Estalo


Tira-me as palavras da alma, o poeta
atira-as de volta
como um estalo

um bofetão de realidade
envolta em poesia
duas linhas aqui
ali um pé quebrado
além a redondilha
medida velha de quem sou
e não sei dizer


2 comentários:

Dulce Morais disse...

Singelo mas pungente. Gostei muito.

ANA ALMEIDA disse...

Obrigada pelas suas palavras, Dulce :-)