quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Orquídeas mariposa


Quero palavras frescas e não as tenho,
gastas que estão nos diálogos diários
do tudo e do nada
perdidas no corropio
entre a novela da noite
e o facebook do dia
abandonadas na troca por miúdos
que é precisa para me entenderes

Quero palavras poderosas
capazes de tirar de mim o que resta de ti
de adoçar o amargo de boca
que o teu nome encerra
de esconjurar as lágrimas que já nem caem
antes se alojam nos aurículos
e ventrículos que o raio x provou serem
um duplex exagerado para o bairro
onde se alojam

Tenho o coração tão grande
e não consigo deixar-te perdido numa gaveta
onde não te reencontre senão
quando o senhor alemão já não me permitir
a memória exacta do sofrimento
que me ofereceste.
Podiam ter sido orquídeas, mais orquídeas,
que ainda ali tenho o vaso das outras
à espera que voltem a dar flor

5 comentários:

Rodrigo Ferrão disse...

melancólico. bonito.

amo te

Gollum disse...

Pode crer que as suas palavras deram flor...
Quando entrei aqui fiquei estarrecido com o nome do blog: anal? meidices?? será um espaço onde se pratica sexo anal? Depois vi que não, com muita mágoa minha e do inquilino do rés-do-chão já aos saltos. Embora eu não curta muito poemas e coisa e tal, agrada-me o equilíbrio das palavras, a sensibilidade, a aparente fragilidade dos sentimentos....
Vou andar d olho por aqui...

Anónimo disse...

Espero que o inquilino do rés-do-chão não se tenha magoado com tanto salto - mas, de facto, por aqui não se registam práticas do género. Mas cultivam-se palavras como plantas e gosto sempre de ter quem a venha regar de vez em quando. Por isso, Gollum, não deixe de andar de olho no jardim. Quem sabe um dia destes serei a traulitada do dia lá pelos seus lados ;-)
aa

Joao Nery disse...

Sim, Ana um dia destes será a traulitada do dia lá pelos meus lados, curiosamente não vou bater muito nem dizer mal. Aliás, até vou dizer bem por contraponto a outros espaços com tiques de vedeta. Graças a Deus (com a devida vénia e sinal da cruz) só quatro ou cinco malucos ligam àquilo, estando assim livre de processos cíveis...

Quando fôr objecto de anál...ise...
eu aviso.

Joao Nery

je disse...

Aguardo a anál...ise. :-)