quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Vamos a votos


Os que amo sabem que os amo. Aprendi há muito que essas coisas não podem nem devem ser deixadas para depois. E quando não digo, demonstro - que não há vocábulo mais precioso do que um olhar que não mente.

Aqueles por quem tenho amizade, carinho, empatia também o sabem. Mesmo sem ser a mais presente das presenças, sabem que estou cá e estarei. Chuva ou sol. Não saberia ser de outra maneira.

E decerto nenhuma das pessoas incluídas neste rol - e são tantas e dão-me alento de tantas formas diferentes! - duvida que não lhes desejo menos do que o que desejo para mim. No Natal como no resto do ano.

Por isso, desta vez, não me apetece ceder à pressão social das mensagens da praxe e dos blá blá blá de ocasião. Limito-me a sorrir em geral. Sorrir é bom, não é?

5 comentários:

Vanita disse...

:)

João Barbosa disse...

:-)

Luis Bento disse...

Já lho disse uma vez...torno a repeti-lo: É preciso vir aqui para perceber e aprender a escrever. Um texto simples, límpido, prenhe de sensibilidade e sorriso. Uma verdadeira mensagem de boas festas. A única!Lê-la é perceber que, às vezes, a vida é assim mesmo..tão simples...e com um sorriso no fim...

M disse...

Parece-me que, há medida que crescemos, cresce em nós uma mania de teorizar e complicar os gestos mais simples do Mundo. Escrever, devia ser sempre assim: simples como sorrir.

Adorei e estou a sorrir.

Laura Ferreira disse...

É sim, sorrir é mais que bom...