sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Obrigada

Às vezes tenho a sensação de que escrevo aqui para o boneco. De que falo para o vento - e por que seria de outra forma se pouco do que digo/escrevo tem real importância para o mundo? Não tenho resmas infindáveis de comentários, fãs indefectíveis daqueles que vêm dizer amén a cada peido em letra de forma (que nojo metem ao invés de afagarem egos), prémios fofinhos que não importam um chavelho, sequer sou mencionada nas listas subjectivas dos blogues que estão na moda. Também de nada disto sinto a falta, admito-o. O mais provável seria roubarem-me do prazer de achar que ninguém me lê e que, por isso, posso escrever o que me der na realíssima veneta.

Ainda assim sinto-me por vezes um fantasma agarrado às teclas. Mas só até andar por aí a chariscar o mundo blogueiro e dar com um link para este cantinho num tasco de que nunca ouvira falar antes, que não faço ideia a quem pertence e a que, devo dizer, não reconheço o estilo ou as histórias. Algures por aí no mundo virtual alguém achou que as minhas linhas ao vento mereciam passar a vir inclusas no rol de sítios a visitar.

Arregalei os olhos, carreguei na ligação - não fosse haver por aí outro blog com este nome, sei lá - e voltei aqui para vos contar, a uns quantos que reconheço e aos outros que entram, lêem e saem em bicos de pés, sem fazer barulho para não incomodar a fera, que durmo esta noite com um sorriso acompanhado.

12 comentários:

Peanut disse...

Ai! Ainda bem que o teu blog é sossegado. É assim como aquelas praias - bem cedinho - que não foram ainda pisadas por banhistas carregados (nunca percebi as pessoas que levam muita coisa para praia, como se a praia não fosse o porpósito da ida, mas sim um lugar que é preciso decorar e disfarçar).
Bem, o que quero dizer é que isto é muito bom. O teu canto é muito bom e eu gosto de cá vir.
Não tem centenas de seguidores?! Isso é que é cá uma chatice!
Regra geral (existem honradas excepções) as pessoas dedicam-se a blogs tontos. Para te ler, é preciso pelo menos saber ler ou querer aprender.

Peanut disse...

Escrevi quase um romance no comentário anterior e ainda cá volto, para partilhar...

Conheço um blog que me parece ao teu jeito, de alguém que recentemente escreveu sobre esta coisa de seguidores e fans...

chama-se "se eu quisesse" não me apetece ir à busca do endereço, mas encontras nos minha lista.

Ora, faz lá o favor de dar uma vistas de olhos.

Beijo

moi je disse...

e comovo-me e é uma porra e rio-me para passar adiante e ir lá cuscar o que me sugeres.
beijo grande.

Zhu Di disse...

olha, eu estou com uma ligeira infecção bocal, já morta, felizmente, mas em fase de solidificação crostal, associado ao facto de estar com a barba feita, atendendo a que a máquina se me avariou tenho de fazer à lâmina, logo durante dois ou três dias fico com cara de porco, agora associado então à tal solidifação crostal no canto direito, canto esquerdo da perspectiva de quem vem de frente.

je disse...

uma vodka e isso ajuda à solidificação.

Peanut disse...

e pronto. uma honrada exepção vem agora cagar (pode-se dozer cagar neste blog?) uma posta de pescada em forma de herpes labial... pffff

je disse...

ah isto era pescada? a mim pareceu-me uma sardinha que se perdeu numa noite de santos mais bem regada ehhe

Peanut disse...

de todo, rica tia... isto era pescada

Zhu Di disse...

herpes labial os tomates.

Peanut disse...

então se é nos tomates é herpes genital. dizem que é uma grande chatice...

je disse...

u2!

Rodrigo Ferrão disse...

Moça, estou contigo!