quinta-feira, 16 de julho de 2009

E a vida apanhou-a


Chamava-se Carmen. Era espanhola, ali de Cádiz. Deu um saltinho à California, mentiu na idade, recebeu uma inseminação artificial e, a um mês de fazer 67 anos, dava à luz gémeos - conseguiu o que queria e também ir parar ao livro Guiness de recordes.

Depois a vida apanhou-a. Acaba de morrer de cancro, aos 69.

p.s.: esta história não tem moral alguma, apenas duas crianças que ficam órfãs.

1 comentário:

Marta disse...

Até pode não ter nenhuma moral, mas não deixadeser uma ironia...